Pacientes com doença falciforme (DF) no Brasil já podem contar com o doppler transcraniano, exame essencial que previne uma das complicações possíveis da doença: o acidente vascular encefálico (AVE). É o que determina a portaria nº 473, de 26 de abril de 2013, publicada pela Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde (SAS/MS).

 

De acordo com o Protocolo de uso do Doppler Transcraniano como procedimento ambulatorial na prevenção do acidente vascular encefálico em pacientes com doença falciforme, a indicação é que o exame seja realizado a partir dos dois ou três anos de idade e ao menos uma vez ao ano nos pacientes com DF.

Segundo o coordenador do Comitê de Glóbulos Vermelhos e do Ferro da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), Rodolfo Delfini Cançado, o doppler transcraniano detecta, entre todas as crianças avaliadas, aquelas com maior risco de desenvolverem AVE antes do primeiro derrame, o que permite um tratamento preventivo com o objetivo de evitar esta grave e debilitante complicação.

Siga a ABHH @ABHH no Instagram
e utilize a #ABHH