Trabalho sobre terapia para Linfoma de Hodgkin, com 5 autores brasileiros é premiado no EHA 2020

Trabalho sobre terapia para Linfoma de Hodgkin, com 5 autores brasileiros é premiado no EHA 2020

Um estudo internacional, multicêntrico com a participação de cinco brasileiros buscou avaliar se a imunoterapia com pembrolizumabe é uma terapia mais eficaz do que a tradicional com brentuximabe vedontina em pacientes com Linfoma de Hodgkin recaído ou refratário. O trabalho foi considerado um dos cinco melhores apresentados na 25a. edição do Congresso da European Hematology Association que, este ano, devido à pandemia da COVID-19, aconteceu somente em ambiente digital. O estudo Fase 3 mostrou que a terapia com pembrolizumabe é superior à terapia usada até aqui, o que pode torná-la standard para este cenario.
Um dos autores do estudo, o hematologista Dr. Guilherme Perini, comemorou o reconhecimento. “É o sonho de qualquer profissional ter seu trabalho reconhecido em um congresso de tamanha magnitude e respeito. É também uma grande satisfação mostrar a força que a hematologia brasileira tem no campo da pesquisa”, comenta Perini. Os outros brasileiros que participaram do estudo foram Iara Gonçalves, Valéria Buccheri, Laura Fogliatto e José Oliveira.

Siga a ABHH @ABHH no Instagram
e utilize a #ABHH